domingo, 31 de outubro de 2010

Chão de Estrelas II

31 de Outubro, feriadão.
Chuva que chove no domingão.
É 31, salário acabou.
Churrascão? Nem pensar!
Sem pão, mas fila urna voto.
Indecisão. Bomba ou torno?
Sem opção. Tiro no pé
Ou tiro na mão?
Tiro no coração.


Matheus VS
31/10/10

sábado, 16 de outubro de 2010

Ode à louça

Diante de mim uma montanha vejo
Brilha um brilho prata a criatura
Só não pode brilhar mais
Oh! Monstruoso abandono
Pois sobre ela descansa a suja e densa crosta
De comida não comida que já começa a se mover.


Matheus VS
20/07/2009

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Sina

   Dormem dóceis sob o solo as cigarras, que em seu sono à sete anos de paz, silencioso sossego dos monges, semeiam o momento justo de sair à luz.
   Rompem a rústica terra os reféns que lá residiram em respeitosa paciência, rasgando o útero de pedra encharcada d'água. Buracos de um parto à própria força.
  E saindo ao dia já impacientes as cigarras, ditas singelas, gritam incessantemente seu hino ígneo em sítios inflamados. Incríveis sinfonias em ode à vida.

   Sina feliz daqueles que nascem somente para celebrar sua união.


Matheus VS
08/10/10

domingo, 3 de outubro de 2010

Chão de Estrelas

3 de Outubro, nem Carnaval, nem natal.
Domingão. Chuvão, sem churrasco.
É 3, salário? Não, muito cedo.
Ah, votação! Enrolação.
Pão fila urna voto.
Democracia? Não, é só papel no chão.
Sujeira, bagunça, baderna.
Quem jogou? Nunca sei.
Quem limpa? Alguém que come a um salário mínimo.
Já recebeu? Não, ainda é dia 3.

Matheus VS
3 de Outubro de 2010